sábado, 17 de junho de 2017

Planalto chama Joesley de ‘bandido notório’ e diz que vai processá-lo

Peemedebista entrará com ação civil e penal na 2ª
Governistas rechaçam entrevista do dono da JBS
Resultado de imagem para temer e joesley
.
Por LUIZ FELIPE BARBIÉRI - no Poder360 - 17/06/2017

Por meio de nota oficial da Presidência, Michel Temer chamou o dono do grupo JBS, Joesley Batista, de “bandido notório” e afirmou que vai processá-lo por declarações dadas à revista Época.
Em entrevista publicada ontem (6ª), o empresário acusa o peemedebista de ser o “chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil“.
Temer respondeu às acusações em nota oficial divulgada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência (leia a íntegra). O peemedebista criticou os termos do acordo de delação do executivo e afirmou que entrará com ações civil e penal contra o empresário na 2ª feira (19.jun).

“Ao delatar o presidente, em gravação que confessa alguns de seus pequenos delitos, alcançou o perdão por todos seus crimes (…) Os fatos elencados demonstram que o senhor Joesley Batista é o bandido notório de maior sucesso na história brasileira. Conseguiu enriquecer com práticas pelas quais não responderá e mantém hoje seu patrimônio no exterior com o aval da Justiça”, diz 1 trecho do documento.
Para 1 líder aliado ao Planalto, as declarações de Joesley à revista Época não são novas e mostram a tentativa do empresário em proteger o PT.
“ Só tem o desespero de 1 cara que a população quer preso e extraditado, tentando livrar a barra da Lula e da Dilma, que devem ser sócios dele” , diz. 
O deputado e líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), diz ter ficado enojado com a entrevista. “Chega a causar náusea, a conduta, a hipocrisia dele [Joesley]”, afirmou.
Deputado e integrante da tropa de choque de Temer na Câmara, Carlos Marun (PMDB-MS) que trata-se de acusações genéricas.
“Não é demais lembrar que este cachorro (forma como os delatores colaboradores eram conhecidos durante a ditadura) esteve por mais de 40 minutos gravando o presidente e nada conseguiu tirar dele de realmente criminoso ou comprometedor”, afirmou Marun. Leia a íntegra da nota.
PSDB
Maior apoiador do Planalto, o PSDB também divulgou nota sobre as afirmações de Joesley. O partido afirma ter recebido cerca de R$ 60 milhões da JBS em 2014, devidamente registrados no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Leia a íntegra:
“Nota PSDB
Conforme dito pelos próprios delatores, a JBS doou cerca de R$ 60 milhões para as campanhas do PSDB em 2014, sendo parte para a campanha presidencial e parte para campanhas estaduais, como está devidamente registrado no TSE. Jamais houve qualquer contrapartida para essas doações feitas a um partido de oposição à época, o que torna absurdo caracterizá-las como propina. Quanto às doações feitas a outros partidos, o PSDB as desconhece, não tendo, portanto, qualquer informação a oferecer.”
Postar um comentário